OCT | Oficina de Compostagem, realizada em Ibirapitanga, trouxe alternativa agroecológica para pequenos agricultores

Você sabe o que é compostagem, como ela é feita e para que serve? Pois um grupo de agricultores da Comunidade Três Morros, zona rural do município de Ibirapitanga, teve a oportunidade de conhecer mais sobre o assunto no dia 03 de outubro. Graças à parceria entre OCT, Prefeitura Municipal e Associação das Cooperativas de Apoio a Economia Familiar (ASCOOB), foi realizada uma oficina sobre o processo de compostagem para os produtores.

A compostagem é o processo de reciclagem dos resíduos sólidos, transformando esse material em um poderoso adubo natural, capaz inclusive de substituir produtos químicos. O processo é super simples e vale para produtos de origem urbana, doméstica, agrícola e até industrial!

De acordo com Joeli Neres, técnico em agropecuária responsável pela oficina, o objetivo da oficina foi capacitar produtores para aproveitarem os resíduos gerados em sua propriedade, como casca de cacau, mandioca, resto de verduras e outros elementos geralmente desperdiçados. “Com a compostagem eles passam a reduzir os custos de produção, uma vez que já produzem hortaliças comercializadas em feiras e no PAA, e que poderão ser adubadas com o resultado da atividade”, comenta.

Essa alternativa se constitui como mais um meio de fazer a agricultura sem o uso exagerado de produtos químicos, nocivos ao meio ambiente, incluindo o próprio ser humano que manuseia e também para quem consume o produto final do plantio.  Para o Engenheiro Agrônomo e técnico da ASCOOB, Edivaldo Quinto de Souza, contar com as orientações e capacitações da OCT é um ponto relevante na busca do fortalecimento da agricultura sustentável “O curso foi importante para ter uma produção orgânica, produtos saudáveis e de melhor qualidade. Passando aos agricultores e agricultoras uma produção de um adubo que pode ser feito dentro de sua unidade produtiva familiar, não usando recurso financeiro para a compra de insumos externos, esse é um ponto importante que sempre fazemos a defesa. Paralelo a isso, também discutindo as vantagens do adubo orgânico, onde há a produção de frutos com menos agressão a natureza, menos tóxicos, produtos mais saudáveis para as escolas, para as crianças e pessoas idosas e levar um produto com essa qualidade através do PAA e também ao PNAE”. Souza ainda destaca como positiva a abordagem de temas relacionados à conservação ambiental como a importância das nascentes, das matas, do uso adequado do solo e a valorização da produção regional.

Além de apresentar a técnica, a reunião também serviu de oportunidade para os técnicos da OCT apresentarem o Projeto Nascentes do Rio Oricó, que tem como objetivo apoiar produtores rurais na gestão sustentável de suas propriedades, além de realizar a restauração florestal de nascentes. Foram identificados alguns produtores com interesse em restaurar suas nascentes e em breve a instituição passará a atuar junto a estes agricultores.


  • 11/10/2018 • Geral
  • Facebook Twitter Google+ E-mail Imprimir página

Parceiros