OCT | Encontro das Águas assinala soluções para a sustentabilidade nos municípios das Bacias do Leste

Palestrantes e convidados do Encontro das Águas apresentaram ações e projetos já realizados em outras regiões, como modelo para as demandas de sustentabilidade dos municípios das Bacias Hidrográficas do Leste da Bahia. O evento foi promovido pelo Instituto das Águas, no último dia 9, em Itabuna, no encerramento do III Encontro Baiano de Sistemas Agrossiviculturais (EBSAGS).

A bióloga, educadora ex-secretária de Meio Ambiente de Porto Alegre, Msc Jaqueline Lessa Maciel, mostrou os avanços concretizados na capital gaúcha e expressou entusiasmo com a região. “Itabuna tem um potencial ambiental que precisa estar vivo em cada cidadão. Precisamos honrar a água e a vida; mas para isso precisamos da educação ambiental. Não evoluímos sem educação”, argumentou a professora, acrescentando que “esse trabalho é um processo profundo, que requer empatia e vínculo com as pessoas”.

Jaqueline ministrou palestra durante a mesa redonda mediada por Maria Luzia De Mello, sobre o tema Paradigmas Civilizatórios: mudando para evoluir, com a participação do prof. Dr. Mauricio Moreau, que coordena o projeto de revitalização do Rio Água Branca, principal afluente do Rio Cachoeira no perímetro urbano de Itabuna, sob a chancela do pró-reitor de Extensão da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Alessandro Santana.

Pagamento de Serviços ambientais

Durante a palestra Pagamento de Serviços Ambientais: uma estratégia para o desenvolvimento sustentável, o diretor executivo da Organização de Conservação da Terra (OCT), Volney de Souza Fernandes, descreveu os progressos na APA do Pratigi, em destaque o município de Ibirapitanga, onde está em curso um bem-sucedido programa de gestão de bacias, baseado em estratégias para influenciar as políticas públicas e criar leis para pagamento de serviços ambientais. Além de prêmios e convênios com as fundações Boticário e Odebrecht, as ações desenvolvidas pela OCT já rendem ganhos financeiros e não-financeiros para os produtores locais. “É possível replicar esse modelo em outras áreas de bacias hidrográficas”, incentiva.

O pró-reitor Alessandro Santana propôs a assinatura imediata de um termo de educação ambiental em todos os municípios do Sul da Bahia. “O protagonismo é de todos: Amurc, Uesc, prefeituras, Instituto das Águas. O meio ambiente é uma causa supraclassista e suprapartidária”, defendeu. O prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, ressaltou a importância da água para a sobrevivência de todos os seres vivos, elogiou o trabalho do Instituto das Águas e assegurou que sua equipe dará apoio integral ao projeto do Rio Água Branca.  

Também participaram do encontro o coordenador executivo da Amurc, Luciano Veiga; prof. Dr. Ivan Crespo; engenheiro Dan Lobão; vice-prefeito de Floresta Azul, Renato Santana; secretários de Educação, Anorina Smith e de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente de Itabuna, John Nascimento; secretária de Agricultura de Floresta Azul, Lola Gedeon Lucas; secretário de Meio Ambiente de Arataca, Isaac de Carvalho, gestores e professores da rede municipal de ensino de Itabuna.


  • 13/06/2017 • Geral
  • Facebook Twitter Google+ E-mail Imprimir página

Parceiros