OCT | OCT tem avaliação positiva em visita de monitoramento do Funbio

Entre os dias 09 e 13 de Março, a Organização de Conservação da Terra (OCT), recebeu a visita de Maria Rita Machado, técnica do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), com o objetivo de monitorar os projetos apoiados pela instituição e executados na APA do Pratigi. Durante os três dias seis agricultores familiares receberam a visita da auditora, que também acompanhou as atividades técnicas- financeiras da Organização.

Com o apoio do Funbio, a OCT executa o projeto “SAF: uma estratégia de agroconservação na bacia do Rio Juliana”-  cujo objetivo é promover o restabelecimento dos serviços ambientais na APA do Pratigi, por meio da implantação e manejo agroecológico de Sistemas Agroflorestais - e o projeto “Restauração Florestal da Bacia do Rio Juliana”, que restaura a mata ciliar e promove a conectividade dos fragmentos de Mata Atlântica na região.

Segundo Maria Rita os dois projetos estão sendo avaliados de forma positiva. “Em relação ao projeto de reflorestamento fiquei impressionada com a velocidade de regeneração das áreas, visto que são ações recentes. E no SAF, eu gostei muito do envolvimento dos agricultores e a assistência técnica que é fornecida pela OCT. Você percebe que o agricultor está confia no técnico e isso faz com que eles estejam envolvidos na execução do projeto”, avalia. Outro ponto em destaque foi a integração entre equipe técnica e financeira da OCT, o que segundo ela é determinante para o sucesso da execução de um projeto.

Técnicos da OCT e auditora em visita a agricultores.

Para Volney Fernandes, Diretor Executivo da OCT, receber feedbacks positivos do financiador é relevante e significa que a instituição está seguindo os rumos antes previstos. “A avaliação positiva dos dois projetos traz para a OCT a garantia de que estamos desenvolvendo um trabalho estratégico para a valoração dos ativos naturais, ao tempo em que aplicamos tecnologias socioambientais, que promovem a resiliência do território e consequentemente desenvolvem modelos de intervenção na escala da paisagem”.


  • 13/03/2015 • Geral
  • Facebook Twitter Google+ E-mail Imprimir página

Parceiros