OCT | Troca de conhecimento e Espírito de Servir

Espírito de servir: este foi o motivo que levou Erico Araújo, técnico agrícola da OCT, a auxiliar a agricultora Lourdes Malta num novo projeto de horta, e consequentemente, melhorar sua renda mensal. Araújo atende a propriedade de D. Lourdes, pelo projeto Saf: Uma Estratégia de Agroconservação na Bacia do Rio Juliana com o apoio do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio). Em uma de suas visitas ao Sistema Agroflorestal (SAF) da família descobriu que a agricultora cultivava uma horta e estava começando a vender hortaliças para alguns restaurantes e vendas da região. 

Notando a vocação de D. Lourdes, lembrou-se de um projeto que desenvolveu em seus tempos de estudante na Casa Familiar Rural de Presidente Tancredo Neves (CFR-PTN): a horta PAIS (Produção Agroecológica Integrada e Sustentável). O PAIS visa a segurança alimentar mais saudável e com baixo custo para a agricultura familiar.

“Aquele é um sistema em que o galinheiro representa o sol, e os canteiros o universo. Em um pequeno espaço você consegue trabalhar com várias coisas, com diferentes tipos de plantio, até mesmo com reflorestamento colocando algumas árvores para servir para controle de vento, ou abóbora e milho, para aumentar a renda daquela área. Você aproveita tudo que se tem ali, e o objetivo do galinheiro no meio é para se aproveitar o esterco das aves para adubo, e ao mesmo tempo, o que não é consumido nem vendido da horta você alimenta as aves, é um ciclo. Reduz custos e atende o objetivo de uma boa alimentação”, ensina o técnico.

D.Lourdes feliz com sua produção

D. Lourdes por sua vez, mostra-se muito satisfeita ao apresentar sua horta e contar como sua renda começou a aumentar com ela. “Eu comecei plantando numa bacia, e agora está assim. No começo eu duvidei um pouco, mas depois eu vi que dava certo, as plantas estão bonitas, e eu tenho vendido mais e também plantado cada vez mais coisas diferentes”, comenta a agricultora.

A produtora chama atenção ainda para a necessidade de ter um cultivo variado, enquanto orgulhosa, mostra cada canteiro de temperos e legumes: “Por hora eu estou conhecendo que a gente tem que ter mais além do cacau. Tem que ter. Aqui, nunca falta um trocadinho. Ajuda muito nisso, sem falar que todo o plantio é limpinho, a gente sabe que não tem químico, que é saudável, né?”

Se a nova produtora de hortaliças da região está satisfeita com sua colheita e motivada com sua nova atividade, por outro lado, o técnico também se diz contente. “Eu me sinto muito realizado pelos depoimentos dela, porque o meu objetivo foi sempre transferir para as pessoas que não tiveram a oportunidade de ingressar uma escola o que eu aprendi. Hoje ela já tem uma renda de R$100,00 por semana, se ela diversificar o que ela planta ela vai ganhar mais ainda. Ela diz que a renda dela está aumentando por causa da horta, e isso ajuda, porque ela vai poder contribuir com a renda familiar. Vai ter a renda da hortaliça”, conclui Araújo. 


  • 25/09/2014 • Geral
  • Facebook Twitter Google+ E-mail Imprimir página

Sustentabilidade que assegura o futuro

Sustentabilidade que assegura o futuro

Princípios e conceitos, principais resultados e projeções para o futuro.

Parceiros