OCT | Apicultura: Produção Sustentável

A promoção do conhecimento e o alcance de alternativas sustentáveis que contribuam para o desenvolvimento das atividades no campo faz parte do escopo de metas e objetivos da Organização de Conservação da Terra (OCT) para com os agricultores familiares assistidos. Nesse contexto, aconteceu, no dia 28 de agosto, uma capacitação em apicultura em parceria com a Casa Familiar Agroflorestal (CFAF) para agricultores assistidos pela OCT e para a equipe de assistência técnica.

A atividade foi conduzida pelo zootecnista e instrutor facilitador do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), Danyllo Matos Pimentel. O profissional ministrou aulas teóricas e práticas, fazendo com que os presentes compreendessem a importância ambiental e econômica da apicultura e pudessem se apropriar das técnicas de manejo das abelhas.

Um dos objetivos da capacitação foi o de mostrar para os agricultores familiares que a apicultura é uma atividade que promove a diversificação de produção na propriedade e geração de renda familiar em pouco tempo, sendo possível em áreas pequenas. Pimentel diz que “no Baixo Sul, destacam-se nessa produção as cidades de Ituberá e Nilo Peçanha, por meio dos jovens da CFAF, que produzem mel de qualidade e vendem para o comércio da região. A média de colheita por enxame por ano no Baixo Sul gira em torno de 30 a 35 kg. O valor médio comercializado fica em torno de R$ 40,00 por litro”.

Para Francisco Augusto Dias, Supervisor Técnico da OCT, o treinamento mostrou aos produtores familiares não só as técnicas de manejo apícola, mas, também, os diversos usos dos derivados das abelhas, que vão além do mel. Dias diz que “a capacitação foi uma excelente oportunidade de apresentar aos produtores rurais uma atividade de grande potencial no Baixo Sul, pela sua grande diversidade e disponibilidade de floradas, além de ser uma alternativa altamente rentável mas pouco explorada, muitas vezes por falta de informações técnicas de alta qualidade e esclarecedoras como as socializadas durante o curso”.

Entre os participantes da atividade estavam jovens produtores que estão em busca de alternativas para melhorar a renda e permanecer na atividade rural familiar. Lucidalva Batista, residente no Assentamento Dois Riachões, em Ibirapitanga (BA), diz que conhecer a história das abelhas, suas espécies e as formas de manejo representa um avanço ambiental e econômico para todos. “O curso trouxe nas aulas teóricas e práticas as técnicas de manipulação utilizadas na apicultura, o modo de cuidar da produção para que se possa ter um retorno econômico e viver em harmonia nessa relação homem/natureza, assunto importante para mim como jovem camponesa. No curso, foi possível compreender a importante função das abelhas no ambiente, de polinização das flores, e de todo o material que elas produzem, como o mel, cera, veneno, pólen, própolis e geleia real. É fundamental que todos entendam que o trabalho desses insetos beneficia os seres humanos e mantém o equilíbrio do meio ambiente”.


  • 17/09/2019 • Geral

Parceiros