OCT | Estação Orgânica Gandu está em pleno funcionamento

Cada vez mais as pessoas buscam alimentos de qualidade e livre de agrotóxicos, e a preocupação com a procedência dos alimentos que entram em casa é crescente. Procurando unir consumidores (co-produtores) e produtores orgânicos, a OCT, em parceria com a Rede Povos da Mata vem estruturando a Estação Orgânica Gandu.

Estratégia criada pela Rede Povos da Mata, as Estações Orgânicas “são entrepostos que facilitam a distribuição dos produtos certificados pela Rede Povos da Mata, e convidam compradores a tornarem-se co-produtores através de um consumo consciente e participativo”. Em outras palavras, as Estações funcionam como o elo entre quem produz o alimento orgânico e quem o consome. “Acessar o mercado regional através da realização da entrega das cestas e das feiras de produtos orgânicos é uma das principais metas da Rede de Agroecologia Povos da Mata, colocando o agricultor em contato direto com o consumidor. Essa iniciativa que está despontando em Gandu vem somar com as diversas ações que estão acontecendo em vários territórios da Bahia", explica Cláudio Lyrio Coordenador da Estação Orgânica Grapiuna (OCA).

 

Estão envolvidos neste processo, agricultores do Núcleo Pratigi, participantes da Rede e apoiados pela OCT, integrantes dos Grupos da Juliana (Igrapiúna), Dois Riachões (Ibirapitanga), Fartura (Piraí do Norte) e Agência (Gandu) certificados e em processo de certificação pela Rede Povos da Mata. De acordo com Francisco Augusto, Engenheiro Agrônomo e Supervisor técnico da OCT, a ação atende a uma demanda antiga dos agricultores beneficiados pela instituição. “Tivemos um grande apoio da Estação Orgânica Grapiúna, através da OCA, que nos ajudou na capacitação dos agricultores na organização da produção, e do grupo do Assentamento Dois Riachões, no preparo das cestas ofertadas através do link”, comentou.

A iniciativa trabalha sob a perspectiva de co-produção ou Comunidade que Sustenta a Agricultura (CSA), onde o produtor garante a oferta de alimentos saudáveis e o consumidor se compromete com a compra desses produtos. O sistema é positivo para ambos os lados, uma vez que o produtor aumenta sua comercialização, sem a necessidade de atravessadores e os consumidores conseguem um preço justo e com a garantia da origem do alimento, como garante Maria do Carmo de Jesus, agricultora do Grupo da Juliana: “Para a primeira entrega foi uma surpresa positiva ter o movimento que teve hoje, as pessoas gostaram. Então a expectativa para a próxima entrega é positiva”.

 

A Estação Orgânica de Gandu trabalha com entregas feitas a cada quinze dias na parte térrea da Igreja Batista Nacional Maranata, em Gandu, e os pedidos podem ser feitos via link disponível no Instagram, no perfil @estacaoorganicagandu, onde é possível conferir a lista de produtos disponíveis e conhecer um pouco mais sobre a Rede e os produtores. 


  • 17/07/2019 • Geral

Parceiros