OCT | Instituições e produtores rurais da região Metropolitana de Salvador realizam visita técnica à OCT

Entre os dias 30 e 31 de julho, a Organização de Conservação da Terra (OCT) recebeu a visita técnica de integrantes da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (INEMA), Produtores Rurais e Secretários de Agricultura das cidades de Candeias, Camaçari, Dias d'Ávila, Simões Filho, São Sebastião do Passé e Lauro de Freitas, região metropolitana de Salvador (BA).

 

A visita técnica visou conhecer a OCT e as atividades desenvolvidas na Área de Proteção Ambiental (APA) do Pratigi, em especial a contribuição no Programa Produtor de Água Ibirapitanga. O primeiro momento ocorreu na sede da OCT, localizada na Serra da Papuã - Ibirapitanga, onde aconteceu um workshop que tratou sobre a estrutura e gestão de mecanismo do Pagamento por Serviços Ambientais (PSA), lições aprendidas em Ibirapitanga (BA), boas práticas de conservação da água e do solo, além do destaque à  experiência com manejo de cacau de qualidade com foco agroecológico, restauração florestal de nascentes e adequação do saneamento rural em quintais produtivos. Ações que são desenvolvidas pela OCT nos imóveis rurais beneficiados pelo Produtor de Águas Ibirapitanga. O momento contou com a presença do Secretário Municipal de Ibirapitanga, o Coordenador do Programa Produtor de Água Ibirapitanga e Produtores Rurais da região.

Para Hérica Coelho, Especialista em Meio Ambiente e Recursos Hídricos do INEMA, o PSA de Ibirapitanga é um exemplo passível de reaplicação. “A iniciativa do município de Ibirapitanga em criar e regularizar o projeto de PSA agregou valor à agricultura local ao mesmo tempo em que promoveu a permanência das famílias no campo com qualidade de vida. E, com certeza, a atuação da OCT foi ímpar nesse processo, visto que a Organização trouxe experiência,  capacitação técnica,  planejamento e contribuiu na execução e implantação de práticas agrícolas mais sustentáveis ao respeitarem o relevo (plantio em curva de nível), dificultando inclusive a erosão e ao sugerirem/usarem plantas nativas na atividade, o que favoreceu o sucesso para os reflorestamentos” diz.

Já no segundo momento, no dia 31, os visitantes foram direcionados para a Fazenda Futurosa,  próximo ao distrito de Itamarati, Ibirapitanga (BA), propriedade de José Melhor, onde a OCT realizou a restauração florestal de uma Área de Proteção Permanente - APP rio, com dois hectares de extensão e o plantio de 3.200 mudas de espécies nativas da Mata Atlântica. Em seguida, o grupo foi conduzido para a comunidade de Joaquim da Mata, município de Ibirapitanga (BA), onde foi possível compartilhar a experiência do manejo de cacau com árvores nativas da Mata Atlântica e em SAF, a  criação de peixe, recuperação de nascentes, adequação dos quintais produtivos com fossa séptica ecológica, sistema de drenagem da estrada de acesso e estufas solares desta comunidade.

Segundo o Coordenador do Programa de Serviços Ambientais da OCT, Rogério Ribeiro, “são momentos como esses que ficam marcados na memória de todos os envolvidos: equipe técnica da prefeitura e da OCT e produtores beneficiados. É notável que estamos no caminho da sustentabilidade, trabalhando em bases conservacionista e a partir de práticas ambientais e produtivas, e tudo isso por meio do engajamento com o sistema governamental local. Estamos felizes, pois o legado da OCT tem a oportunidade de extrapolar os limites da APA do Pratigi e poder contribuir para melhoraria da qualidade de vida de outras regiões”, comenta.

A visita técnica foi acompanhada de perto por representantes das equipes de Conservação Ambiental e Conservação Produtiva da OCT, visto que as práticas executadas no Programa de Serviços Ambientais (PSA) são resultado de um conjunto de ações dessas duas áreas de atuação da Organização de Conservação da Terra.

 

 

 


  • 07/08/2019 • Geral

Parceiros