OCT | Intercâmbio de conhecimento e técnicas entre OCT e Casa Familiar Rural de Presidente Tancredo Neves

A Organização de Conservação da Terra (OCT) realizou, no dia 07 de agosto, um treinamento em instalação de Fossa Séptica Econômica (FSE) para monitores e assistentes educadores da Casa Familiar Rural de Tancredo Neves (CFR-PTN). A ação ocorreu na propriedade do jovem Mileno Andrade, estudante da CFR-PTN, comunidade Retiro, município de Valença (BA).

A prática faz parte do processo de intercâmbio de conhecimentos e técnicas entres as instituições que compõem o Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade (PDCIS), iniciativa da Fundação Odebrecht para o desenvolvimento territorial sustentável do Baixo Sul da Bahia. 

A FSE consiste na utilização de um sistema fechado de tratamento da água negra, que não gera efluente e evita a contaminação dos recursos naturais. O diferencial da tecnologia é a possibilidade de ser facilmente replicada, além da conscientização acerca da importância da saúde humana e ambiental dentro de uma perspectiva de desenvolvimento sustentável.

Para Ivanete Santos, monitora do 2º ano da CFR-PTN, “a atividade foi muito boa, deu para entender como funciona a Fossa Séptica Econômica. Creio que sou capaz, hoje, de acompanhar as futuras instalações e tirar as possíveis dúvidas dos jovens. A importância dessa inovação é muito grande, principalmente nesse caso em que a família reside bem próximo de um curso d’água  e, se fosse utilizado uma fossa convencional, com certeza, teríamos contaminação da água com mais expressividade” diz Ivanete.

A ação casou com a primeira atividade do projeto “Saúde, Educação e Bem-Estar para Jovens Rurais”, financiado pelo Programa Voluntariado Banco do Brasil – Fundação Banco do Brasil e executado pela CFR-PTN, que tem como ação principal a instalação de 30 fossas biodigestoras. Na compreensão de Deraldo Neto, monitor do 2º ano da CFR-PTN, “a FSE, como foi possível ver, é fácil de ser instalada, tem a eficiência comprovada. Para mim, é muito importante estar acompanhando esse processo para que possamos replicar a técnica nas propriedades de outros jovens.  Com esse treinamento, podemos ter segurança em orientar as próximas instalações adequando a realidade de cada propriedade. Na nossa região, já fizemos um levantamento, as fossas negras (fossas convencionais em que os dejetos entram em contato direto com o solo) estão em grande parte das residências rurais e urbanas e por isso a importância de implantações de fossas que não poluem o meio ambiente”, afirma Neto. 

A oportunidade possibilitou que técnicos, monitores, assistentes educadores, unidades-família e a comunidade pudessem ampliar seus conhecimentos em saneamento e aprender uma técnica nova sobre fossa. Para a OCT, a ação coloca em prática um de seus objetivos que é multiplicar conhecimentos e novas tecnologias agrícolas.  José Eduardo Mamédio, técnico da OCT e um dos facilitadores dessa ação, reforça que “é muito bom ver essa tecnologia disseminada no nosso território. Esse modelo de fossa séptica, além de tratar adequadamente os efluentes, adequa o quintal da família, tornando-o produtivo, sem risco de contaminação do solo, da água ou da produção agrícola”.

 


  • 16/08/2019 • Geral

Parceiros