OCT | OCT e dois produtores rurais assistidos são selecionados no Prêmio Rural Sustentável – Sustentabilidade para o Desenvolvimento Rural

 

O Projeto Rural Sustentável, executado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), publicou em dezembro de 2018 o resultado do “Prêmio Rural Sustentável – Sustentabilidade para o Desenvolvimento Rural”, criado com a finalidade de reconhecer boas práticas de tecnologias aplicadas à agricultura de baixo carbono em Unidades Demonstrativas e Unidades Multiplicadoras cadastradas no Projeto.

Foram mais de 600 propostas enviadas, destas apenas 100 foram pré-selecionadas e analisadas por uma Comissão Julgadora composta por representantes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Department for Environment, Food and Rural Affairs (Defra), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Banco do Brasil (BB), Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS), Centro de Desenvolvimento Sustentável – CDS/UNB - Rede Clima, Universidade Federal do Ceará (UFC) e Instituto Ipê.

Entre as 20 selecionadas, está a Organização de Conservação de Terras – OCT, premiada na categoria de instituição de Assistência Técnica e Extensão Rural - ATER, subcategoria: vinculação e continuação de políticas públicas.

Ser premiada nessa subcategoria foi uma forma de reconhecer as práticas da OCT em assistência técnica e extensão rural, apoiando políticas públicas de promoção de iniciativas sustentáveis. Oportunizar a ATER adequada e tempestivamente é o propósito maior da instituição, pelo reconhecimento do seu valor estratégico, para que os produtores e suas famílias tornem-se artífices dos próprios destinos.

Para Joaquim Cardoso, Diretor Executivo da OCT, “O Prêmio Rural Sustentável enche de orgulho e satisfação por que muito valoriza a essencialidade da ATER no desenvolvimento e gerenciamento integrado e sustentável. Esta ação constitui-se nos mecanismos  de levar reflexões, avaliações e decisões dos produtores rurais, juntamente com suas famílias e inseridos em suas comunidades, a tomarem decisões objetivas sobre o adequado uso dos recursos naturais, de maneira consciente e deliberada, a partir de revisão continuada de seus processos produtivos, assegurando: respeito ao meio ambiente, aumento da produtividade, geração de trabalho e renda; agregação de valor aos seus produtos; fortalecimento das cadeias produtivas locais; e exercício do esforço cooperativo”. Discorre Cardoso.

Além da OCT, foram premiados o produtor Jairo de Souza e o Agente de Assistência Técnica – ATEC - da OCT Joeli Neres, na subcategoria Inovação e experimentação, que buscou reconhecer ações que contribuem para a transformação dos modos de produção visando o uso eficiente dos recursos naturais, a adoção de fontes de energia limpa, a reutilização e reciclagem de produtos, o uso de tecnologias adaptadas à realidade local e/ou a busca de ações para a inclusão social.

“Me senti muito alegre ao receber a notícia do prêmio! Antes do Projeto eu trabalhava fora de minha propriedade, vendia diária para ajudar minha família. Quando os técnicos da OCT me visitaram apresentando esse projeto eu acreditei! Passei a receber aquele suporte do dia a dia, técnicas de como plantar, como cuidar, e eu e minha esposa aqui junto, lutando e vendo os frutos desse trabalho. Quero agradecer primeiramente a Deus, a participação da OCT e o pessoal do Rural Sustentável”. Diz Souza.

Também foram premiados o Produtor Raimundo de Jesus Souza, junto com o ATEC da OCT Amauri de Souza Cruz na subcategoria: geração de trabalho e renda, que objetivou premiar práticas que se propõem a promover o incremento de renda e a geração de trabalho a partir do cooperativismo, o fortalecimento das cadeias produtivas locais, a agregação de valor à produção e/ou o desenvolvimento de outras atividades sustentáveis. O sr. Raimundo trabalha com a parceria forte de sua esposa, D. Martinha da Conceição. Segundo o depoimento do casal, é ela quem incentiva a busca de conhecimento e inovação nas atividades da propriedade.

“Eu me senti bastante feliz ao saber que ganhamos esse prêmio. Foi através do trabalho que a OCT vem fazendo com a gente e tudo que a gente já aprendeu e fez na nossa terra que gente ganhou.  Eu fico muito feliz pelo trabalho que a OCT faz através do Amauri, porque ele tem dedicação, ele corrige o trabalho quando está errado, ver o que a gente faz passo a passo, então ele tem o interesse de nos ajudar”. Relata Conceição.

“A gente tá bem feliz, eu nem esperava que isso pudesse acontecer, mas graças a Deus através de todos, o pessoal da OCT e do Rural Sustentável, chegamos até aqui então eu estou muito feliz”. Completa. Souza.

Para os técnicos que acompanham os produtores, a premiação não só reconhece o empenho e dedicação do trabalho, mas facilita a atuação da OCT no campo. Pois há essas experiências positivas, mostrando através do exemplo de agricultores, que decidiram trabalhar respeitando a natureza, que é possível prosperar sem degradar. O sentimento de Joeli Neres, Técnico da OCT e ATEC premiado é de felicidade: “Fiquei muito alegre ao saber o resultado da premiação, pois foi possível mostrar que todo trabalho realizado pela equipe OCT foi com responsabilidade e o reconhecimento de todo processo é o melhor prêmio.  Esse prêmio é importante porque valoriza todo nosso trabalho e mostra a eficácia da equipe na execução dos projetos”. Expressa Neres.

“Estamos no caminho certo levando ao produtor assistência técnica de qualidade voltada para a conservação, valorizando o social, ambiental e o econômico e principalmente respeitando o conhecimento popular que é uma riqueza dos nossos agricultores, este é o diferencial do nosso trabalho. O prêmio é uma forma de reconhecer o trabalho realizado pela equipe OCT”. Completa Amauri Cruz, Técnico da OCT e ATEC premiado.

A premiação de dois produtores nas categorias próprias representa um resultado objetivo e prático da OCT como ATER, no seu papel final que é o da educação produtiva, como instrumento de emancipação das comunidades na busca dos seus próprios destinos.

Os premiados deverão investir o valor do prêmio em bens ou ações ligadas direta ou indiretamente nas atividades exercidas na propriedade e na geração de renda e sustentabilidade no meio rural. A cerimônia de premiação acontecerá neste ano, 2019. 

 


  • 09/01/2019 • Geral

Parceiros